BananinhaAzul porque um dia perguntei a cor de uma banana á minha filha e ela respondeu azul. Embora também pudesse ter este nome porque a cor azul é repetidamente relacionada com Autismo.
Com este blog passo a fazer uma das coisas que mais gosto de fazer que é escrever e escrevo sobre uma temática em que realmente tenho alguma coisa para dizer... Goste!

sábado, 5 de janeiro de 2013

Mães frigorífico, uma teoria

 
 
 
 
Hoje quero falar sobre a teoria das Mães Frigorífico. A teoria assenta na hipótese de Kanner, que defendia que até ao nascimento, as crianças apresentavam um desenvolvimento normal, mas que, devido a factores familiares, como o caso da frieza e a pouca expressividade dos pais, era originado um défice afectivo nas crianças surgindo assim o autismo.
Kanner falava ainda do problema da mãe não brincar com a criança, ignorando isso ser consequência e não causador de autismo. A teoria também não explicava como é que acontecia uma mãe ter dois filhos, um ser autista e o outro não, tendo em conta que o problema residia na mãe os dois deveriam ser autistas... Portanto, o autismo era considerado uma perturbação emocional e não biológica. Esta teoria teve efeitos demolidores nas familias destas crianças. As familias começaram a debater-se com sentimentos de culpa.
Nos dias de hoje ainda há quem acredite na teoria psicogénica do autismo, julgando que essa condição é resultado de maus pais ou de uma falha na função materna. Por acaso já me aconteceu a minha própria mãe dizer-me que achava que eu não tinha "puxado" muito pela Bruna, penso que ela não tem noção de como me magoou e como as suas palavras foram injustas... Não me disse que eu tinha culpa do autismo da neta mas disse-me isso, enfim...


 
 
Na década de 70 a teoria de Kanner caiu por terra, quando começaram a surgir investigações que a colocavam em causa. Apareçeram estudos com crianças vítimas de maus tratos por parte dos pais e, estas apesar da experiência traumática não apresentavam características que aludissem ao quado de autismo.
Também o próprio Kanner abandonou a ideia e regressou à base genética.
Felizmente esta ideia peregrina foi ultrapassada, para bem das famílias, especialmente das mães claro está...


2 comentários:

  1. Apesar dessa teoria ter 'caído', ainda temos pessoas que insistem em nos julgar culpados pelo que nossos filhos passam...
    E, vivi isso um dia desses, como contei nesse post:
    http://reflexoesdemamae.blogspot.com.br/2012/10/de-quem-e-culpa.html
    Mas, a gente tem que ter força, né?
    Porque se não fosse a luta de nós mamães, as coisas seriam bem diferentes!!
    Um beijo!
    Parabéns pelo post!!!

    ResponderEliminar
  2. ahahah deixo aqui a revogação da teoria :)
    http://asperger-eu.blogspot.pt/2009/01/geladeira-ou-fogareira.html

    Beijinhos e Feliz Ano 2013

    ResponderEliminar